Perguntas Frequentes

Saúde Búcal

É normal que as gengivas sangrem?

Não, o sangramento gengival é indicativo da existência de uma gengivite, ou seja, uma inflamação das gengivas, que habitualmente está associada à presença da placa bacteriana, na qual as gengivas apresentam-se inflamadas, avermelhadas e com aspecto inchado. Entretanto, é necessária uma consulta com um profissional para o correto diagnóstico e tratamento.

Como tratar o mau-hálito?

A causa do mau hálito pode ter uma grande variedade de fatores. Em alguns casos está ligado ao acúmulo de placa bacteriana sobre a língua, que deve ser removido com escovação. Porém, na maioria dos casos pode ser um indicativo de doenças na boca, como periodontite, cáries e até câncer bucal. Existem doenças do trato digestivo que também podem causar mau hálito. Consulte o dentista para o correto diagnóstico e tratamento.

Como posso saber se tenho câncer bucal?

Realize um exame na sua boca, na face e no pescoço e procure por manchas, lesões brancas, aumento de volume ou outras feridas na língua, gengiva e parte interna da bochecha que demoram a curar. Qualquer sintoma deve ser comunicado imediatamente ao dentista. Para prevenir, evite o consumo exagerado e frequente de álcool e fumo. Visitas regulares ao dentista também são uma forma de prevenção, uma vez que durante o exame bucal são analisados todos os tecidos bucais.

Como escovar os dentes?

Você deve começar por escovar os seus dentes com a escova voltada para a gengiva, ao longo do eixo do dente, e execute cerca de dez movimentos vibratórios de um em um ou de dois em dois dentes. Repita os movimentos sobre todos os dentes, pelo lado de dentro (lado da língua) e pelo lado de fora (lado da bochecha). Nos dentes anteriores (superiores e inferiores), pelo lado de dentro (lado da língua), ponha a escova na vertical e execute os movimentos no sentido do eixo da escova, não se esquecendo de fazer as cerdas da escova entrarem em contato com a margem gengival. Nas superfícies em que mastigamos os alimentos, coloque as cerdas da escova sobre elas, ficando a cabeça da escova paralela a essas superfícies. Pressione e faça movimentos horizontais de vaivém. Se tiver sangramento frequente durante a escovação dos dentes você deve informar ao seu dentista. Não se esqueça de escovar a língua, pois nela ficam alojadas bactérias que causam mau hálito. Caso você tenha um espaço muito grande entre seus dentes, o uso de escovas interdentais é recomendado. Essas escovas também podem ser usadas por pacientes que usam aparelho ortodôntico.

Demonstração de escovação
Imagens: Colgate (colgate.com.br)

Quando escovar os dentes?

Sempre após as refeições e principalmente à noite, antes de deitar. A melhor escova é a de cerdas com dureza macia ou extramacia. Utilize nas escovações uma boa pasta dentifrícia, que contenha flúor. Não existem muitas diferenças significativas entre as diferentes marcas de pasta dental, portanto, escolha a que melhor agrada ao seu paladar.

É importante usar fio dental?

Sim. Todos os dentes de nossa boca possuem cinco lados expostos e todos eles têm de ser limpos para evitar o acúmulo de placa bacteriana e, consequentemente, as doenças que podem surgir. Uma boa escovação vai ser eficaz em limpar apenas três superfícies dentárias, porém, as cerdas não conseguem entrar no espaço entre os dentes. É nessas superfícies que o fio dental deve ser inserido com cuidado e com movimentos amplos – como o de lustrar sapatos – desde a gengiva até a parte superior do dente. Um pedaço entre 30-40 cm é suficiente e deve ser enrolado entre seus dedos médios, enquanto que os indicadores e os polegares realizam a limpeza. Se houver sangramento isso é normalmente um indicativo de que existe uma inflamação gengival e não, o que a maioria das pessoas pensa, de que o fio cortou a gengiva.

Demonstração de uso do fio dental
Imagens: Colgate (colgate.com.br)

Implantes Dentários

Qual a função do implante dentário?

O implante dentário intraósseo tem a função de uma raiz dentária, pois sobre ele (ou eles) serão colocadas as próteses e seus componentes. Os implantes servem, portanto, para suporte de prótese.

O que são implantes osseointegrados?

São uma nova geração de implantes, introduzidos a partir da década de 1960, mas que só agora atingem um grau de aceitabilidade universal. São normalmente parafusos de titânio colocados em áreas desdentadas e que apresentam capacidade de exercer as funções mastigatórias e funcionais de maneira semelhante aos dentes naturais. Normalmente, esse tipo de implante é colocado em duas etapas: uma para a inserção do implante de titânio propriamente dito – cirurgia mais extensa – e outra, alguns meses depois, para a colocação de dispositivos que suportarão as próteses; estas podem ser confeccionadas em curto período após a segunda etapa.

São superiores às próteses convecionais?

Certamente são melhores que dentaduras e próteses removíveis ("pontes móveis"). Têm capacidade funcional semelhante às próteses fixas em casos de espaços desdentados relativamente pequenos, mas a opção por um ou outro tratamento deve ser cuidadosamente analisada pelo profissional e em acordo com a solicitação do paciente, pois as situações são muito diversas e impedem a discussão com regras fixas. Nos casos de desdentados totais ou de áreas posteriores a solução com implantes é normalmente melhor do ponto de vista funcional.

Qual a chance de um implante dar certo?

Estudos de longa duração demonstraram que certos tipos de implantes apresentam taxas de sucesso acima de 90% nos implantes colocados e taxas superiores a 97% de sucesso das próteses (porque a perda de um implante não significa necessariamente a perda da prótese, pois está apoiada em outros implantes). Esse índice de sucesso, porém, é médio e não vale igualmente para todas as regiões da boca. Os índices de falha em desdentados totais inferiores é próximo a 0% e na região posterior da maxila, com osso pouco denso e após a colocação de implantes curtos (devido aos seios maxilares), a taxa pode chegar a 33%.

O que acontece se o implante apresentar alguma mobilidade após a colocação da prótese?

Significa a perda do implante. Toda mobilidade é progressiva e indicativa de insucesso.

Quanto tempo dura um implante? Qual sua vida útil?

Pode-se afirmar que, em 95% dos casos, se os implantes não foram perdidos nos dois primeiros anos de uso durarão por grande parte da vida do paciente. Um implante dentário, bem feito e cuidado, pode durar por tempo indeterminado (já existem casos com mais de 30 anos em função) sem a necessidade de substituição. Já a prótese que vai sobre o implante, se for confeccionada em resina, dura em média dez anos e a confeccionada em cerâmica pode durar até 20 anos. Mas, isso não é uma regra. A duração depende da higiene bucal do paciente e da quantidade de visitas periódicas ao dentista. A indicação é de seis em seis meses.

Esteticamente o implante é bom?

Depende muito do sistema utilizado e das condições locais. A estética melhorou muito nos últimos anos. Lembre-se: por melhor que seja o implante e o profissional, o primeiro continua sendo uma prótese, ou seja, a substituição de dentes naturais por artificiais. Expectativa demasiada em relação a implantes é comum, mas, normalmente é sucedida de certa parcela de frustração. Em muitos casos a solução estética é apenas aceitável. O melhor raciocínio é funcional: o implante é muito superior a outros procedimentos de prótese e na ausência dos dentes é o que pode ser realizado de melhor.

Devo voltar ao dentista depois de colocar os dentes?

É necessário no mínimo um controle clínico radiográfico a cada ano. É também uma obrigação do paciente comparecer a esses controles.

Em relação à capacidade de mastigação, ela vai melhorar após a colocação de implantes?

Os implantes apresentam resultados funcionais muito superiores aos obtidos por dentaduras e próteses removíveis. Os pacientes que usam dentadura há muito tempo e colocam implantes sentem diferença muito significativa.

Se não existir osso suficiente, existem mandeiras de aumentar a quantidade de osso disponível?

Sim. Na área da maxila podem ser feitas cirurgias para aumento de rebordo e/ou levantamento do seio maxilar, retirando-se osso do mento (queixo), do ramo da mandíbula ou da crista ilíaca. Na mandíbula o desvio do nervo alveolar inferior também pode ser realizado, mas as sequelas pós-operatórias desse último procedimento diminuem grandemente sua indicação. Os enxertos para ganho de osso em altura e largura podem ser feitos de tecido ósseo retirado do próprio paciente, dos seguintes locais: dentro da boca, principalmente da mandíbula, e fora da boca na região de osso ilíaco, o local mais comum. Podem também ser utilizados biomateriais que podem ser naturais ou sintéticos, geralmente com um custo mais elevado. Após no mínimo seis meses da realização da cirurgia, dependendo de seu tipo, os implantes podem ser colocados. Os enxertos autógenos, isto é, retirados do próprio paciente, geralmente têm um índice de sucesso bem maior do que os biomateriais.

Todas as pessoas podem fazer implantes dentários?

Se lhe falta um ou mais dentes, então você pode ser um candidato a implante dentário. Seu dentista tem condições de discutir sua situação clínica individual. Os implantes dentários permitirão que você sorria, fale e coma com confiança e conforto.

Para quais casos são indicados os implantes dentários?

Os implantes dentários são indicados para perda total ou parcial dos dentes em qualquer idade. Não têm contraindicação e podem ser usados até mesmo por pacientes cardíacos ou diabéticos, por exemplo. Em caso de paciente com doenças sistêmicas, a avaliação é ainda mais rigorosa.

Existem contraindicações?

  • Pacientes com inadequados hábitos de higiene bucal.
  • Pacientes com problemas de saúde que podem comprometer o ato cirúrgico.
  • Crianças em idade de crescimento.
  • Adultos portadores de doenças ósseas.
  • Pacientes dependentes de álcool ou de drogas.

Devo extrair um dente natural para colocar implante?

O dente natural sempre é melhor do que qualquer prótese. Porém, em certas situações, em que dentes naturais estão muito comprometidos por doença periodontal, por exemplo, pode-se aventar a hipótese. Um planejamento global, levantando todas as alternativas, inclusive custo, deve ser mandatório. Não há consenso acerca do grau no qual o comprometimento dos dentes torna a colocação de implantes mais vantajosa.

É possível colocar os implantes e os dentes no mesmo dia (carga imediata)?

A sequência clássica de um tratamento com implante prevê um tempo de espera mínimo de três a seis meses entre a etapa de colocação do implante e a instalação da prótese. Hoje em dia, quando indicado pelo implantodontista, esse tempo pode ser reduzido a alguns dias ou até a algumas horas, dependendo de uma série de fatores como a região que receberá os implantes, o número de implantes, qualidade do osso, entre outros.

Tratamento Ortodôntico

Qual a melhor idade para uma consulta com o ortodontista?

Uma consulta aos 5 ou 6 anos de idade permite ao ortodontista planejar qual a melhor época de intervir nos pacientes que precisam de tratamento. A maioria das más oclusões (problemas de má posição dentária) são mais facilmente tratadas durante a fase de crescimento.

Adultos podem fazer tratamento ortodôntico?

Sim. Desde que haja saúde das estruturas ao redor do dente, a correção da posição dos dentes pode ser feita em qualquer idade. Não há idade limite para iniciar o tratamento. Atualmente, uma grande parcela dos pacientes é de pacientes adultos. Por isso, existem aparelhos discretos que foram especialmente desenvolvidos para o tratamento de adultos.

Quais os principais tipos de aparelhos ortodônticos?

Aparelhos fixos: indicados para tratamento na dentição permanente. São os aparelhos mais eficientes, funcionam 24 horas por dia, dependem menos da colaboração do paciente e podem corrigir más oclusões complexas. Existem várias gerações de aparelhos fixos e os mais modernos permitem tratamento com mais rapidez e conforto para o paciente.

Aparelhos fixos estéticos: são bem mais discretos do que os aparelhos fixos de metal e podem ser utilizados com arcos estéticos para ficarem ainda menos visíveis. Existem diferentes qualidades de aparelhos fixos estéticos; os de melhor qualidade, de porcelana ou safira, não sofrem alteração de cor durante o tratamento.

Aparelhos removíveis Invisalign: indicados para tratamentos em pacientes em fase de crescimento ou para tratamentos simples em jovens e adultos. Possuem a vantagem de poder ser removidos para atividades sociais, para alimentação e para higiene bucal. O aparelho Invisalign utiliza jogos de alinhadores sequenciais, feitos sob medida para cada paciente.

Quanto tempo leva um tratamento ortodôntico?

Depende muito de cada caso. Fatores como severidade do problema, tipo de crescimento da face, idade e nível de cooperação do paciente interferem no tempo de tratamento. A maioria dos tratamentos com aparelho fixo em adolescentes dura aproximadamente 24-36 meses. Tratamentos com aparelho fixo em casos que requerem extrações de dentes duram aproximadamente 36 meses.

É necessário extrair dentes permanentes no tratamento ortodôntico?

Nos casos em que existe falta de espaço para o correto alinhamento dos dentes, o ortodontista vai avaliar todas as possibilidades para acertar a posição dos dentes sem extrações de dentes permanentes. Antes de ser ortodontista, o profissional é um cirurgião-dentista, o qual tem o maior interesse em manter dentes sadios. No entanto, nos casos em que a discrepância entre o tamanho dos dentes e o tamanho do osso é muito significativa, ou a diferença entre as bases ósseas (maxila e mandíbula) é muito evidente, pode ser necessária a extração de dentes permanentes.

Mande mensagem pelo WhatsApp